7 rituais de acasalamento esquisitos

Por Natasha Romanzoti

7/4/2012   Os animais dão extenso material para histórias esquisitas. Principalmente quando se trata de sexo. Alguns são engraçados, outros exigentes e alguns até são violentos; nada que pior do que os seres humanos, que podem ser tudo isso ao mesmo tempo.

1 – NECESSIDADES PANDAS SELVAGENS

Pandas fêmeas ovulam apenas uma vez por ano, com uma janela de 36 horas durante a qual podem engravidar (você não queria ser um panda macho, né?).
É um dos motivos pelo qual são uma espécie em extinção. Pandas em cativeiro muitas vezes não conseguem acasalar dentro desse prazo. E embora alguns programas de reprodução em cativeiro tenham tido sucesso com pandas gigantes, a maioria tem contado com inseminação artificial.
Um problema pode ser falta de motivação. Na natureza, os machos se reúnem em torno de uma fêmea e competem por uma chance de acasalar, altura em que os níveis do seu hormônio sexual testosterona aumentam em seu sangue. Em zoológicos, essa falta de concorrência pode ser problemática.
A nutrição também é crucial. Pandas conservam a sua energia, mantendo os níveis de testosterona relativamente baixos, até encontrarem uma fêmea. Isso está ligado ao fato de que o bambu que os animais comem lhes dá relativamente pouca energia. É tão pobre nutricionalmente, que os ursos têm que consumir cerca de 20 quilos por dia para obter calorias suficientes.
Esta ligação direta entre reprodução e nutrição faz com que a destruição de seu habitat seja ainda mais problemática para os ursos.
Conclusão: os pandas gostam que seja difícil. Se deixados a si próprios, em um habitat rico em bambu, os animais se sairiam muito bem.
2 – OPS! FÊMEA OU FÊMEA?

Não são apenas os pandas que sofrem para se reproduzir em cativeiro. No Jardim Zoológico de Londres, no Reino Unido, funcionários recentemente descobriram que seu casal de aardvarks (Orycteropus afer, um mamífero africano) eram na verdade ambos do sexo feminino.
Notoriamente, é difícil dizer o sexo de aardvarks, porque suas genitálias são internas. Mas, segundo empregados do zoológico, os animais “se dão muito bem”. A Sociedade Zoológica de Londres está atualmente buscando um macho para apresentar ao seu par de fêmeas.

3 – PATAS EXIGENTES E PATOS VIOLENTOS

O pato tem uma vida sexual muito complicada. Ambos os patos machos e fêmeas têm genitália incomum: os machos têm pênis em forma de saca-rolhas, enquanto as fêmeas têm tratos vaginais labirínticos com um número de “becos sem saída” que não conduzem ao útero.
Enquanto os patos machos tentam, muitas vezes agressivamente, acasalar com as fêmeas, as fêmeas evoluíram a capacidade de fechar seu trato reprodutivo verdadeiro ao esperma de parceiros indesejados (estupro animal?).
Algumas patas também parecem ser capazes de dizer se seu parceiro é saudável. Pesquisas mostram que patos machos têm sêmen antibacteriano, e quanto mais fluido antibacterial tem, mais brilhante a cor do seu bico é.
As fêmeas provavelmente usam essa cor como uma indicação visual para escolher um parceiro e evitar doenças sexualmente transmissíveis.

4 – COALAS CANTORES

Demonstrações elaboradas muitas vezes são parte crucial do ritual de acasalamento na natureza.
Por exemplo, a época de acasalamento transforma os geralmente tranquilos coalas machos em animais berradores. E, quando os machos começam a gritar, as fêmeas procuram o com a voz mais impressionante.
A anatomia do trato vocal dos coalas é tão incomum e especializada que eles são capazes de produzir sons que os fazem parecer muito maior do que realmente são.

5 – DE BUNDA PARA ELAS

Enquanto danças para impressionar parceiros são comuns no mundo das aves, bustards grandes, uma das maiores espécies de aves voadoras, desenvolveram um outro truque para se tornarem mais atraentes ao acasalamento diante do sexo feminino.
Um estudo observacional revelou recentemente que as aves se levantam e apontam seus “bumbuns” para o sol, tornando suas brilhantes penas da cauda branca mais visíveis para as fêmeas.



6 – INSETOS FÊMEAS PREDADORAS

Existem incontáveis hábitos de acasalamento estranhos e até macabros no mundo dos insetos.
Fêmeas louva-deus predam machos enquanto eles ainda estão tentando copular com elas. Há também muitas espécies de aranhas onde a fêmea é conhecida por devorar o macho depois do sexo.
Em viúvas negras, as espécies mais infames nesta prática, o ato parece ser mais sobre a necessidade nutricional do que um estranho hábito sexual.
Um estudo de 2011 mostrou que machos da aranha viúva negra tinham um truque para evitar serem comidos. Eles são capazes de farejar uma fêmea bem alimentada simplesmente andando em sua teia, e usam essa técnica para evitar as fêmeas famintas, que são muito mais propensas a canibalizá-los.

7 – PEIXE ESPERTO

No mundo aquático, tornar-se papai pode ser um jogo de inteligência. Um estudo recente descobriu que os peixes-zebra menores são capazes de se “infiltrar” entre as fêmeas e seus concorrentes maiores, tendo uma boa chance de fertilizar os ovos das fêmeas.
Como muitos peixes, peixes-zebra machos fertilizam os ovos depois que eles são colocados, um processo de fecundação externa conhecido como desova. Tamanho não é documento, né? Cérebro vence músculo.[BBC]

Nenhum comentário:

Postar um comentário